Aprender a Fazer Redação e Passar no Enem

Não sei gramática para a prova do Enem

Muitas são as pessoas que chegam até este blog procurando saber mais sobre a prova de linguagem no Enem. O que a maioria sente é medo de cair muita coisa, regras que não se usam muito e não conseguirem responder nada. O medo de não conseguir passar num vestibular é real e elas querem saber, por exemplo, o que cai de gramática normativa na prova;

Prova de linguagens e o uso do substantivo

Qualquer pessoa que chegue aqui saber que a gramática não é o carro-chefe de uma prova como a do Enem, mas costumo dizer que quem não sabe gramática terá dificuldades numa prova de interpretação de textos. Por isso mesmo que você vai ficar mais seguro aprendendo a usar o substantivo na prova para atribuir valor à argumentação na redação e montar respostas que sejam agradáveis em qualquer texto que vier a fazer.

Construir um texto dissertativo no Enem



Um dos caminhos bastante eficazes para conseguir sua aprovação na prova de redação do Enem é o curso Missão Enem. Nele você aprenderá os segredos para construir um texto dissertativo sem o medo de dar branco diante da folha. No curso você terá contato não só com o ebook especial com tudo que é necessário para entender as cinco competências que são avaliadas na prova do enem, mas também terá acesso a todas as aulas em vídeo e também em MP3. Sim, enquanto você estiver fazendo caminhada, indo pra escola ou mesmo viajando poderá escutar as aulas e colocar em prática assim que chegar em casa.

Você terá o poder de escrever ótimos textos dissertativos

Muitas são as pessoas que têm dificuldade em escrever um texto dissertativo que valha mais de 850, 900 pontos, mas aquelas que seguiram nossas dicas sabem bem o ganho que terão na nota final de suas redações. O método aqui mostrado já foi responsável pela aprovação de muitas pessoas no vestibular. Algumas delas, e não são poucas estão em faculdades federais as quais sonhavam antes mesmo quando estavam no Ensino Médio.

E o uso do substantivo? O que preciso saber?

CONCEITUAÇÃO

Substantivo é a classe de palavra que:


  • do ponto de vista semântico, designa todo tipo de ser: pessoas, coisas, divindades, etc;
  • do ponto de vista mórfico, assume as categorias de gênero (masculino/feminino) e número (singular/plural);
  • do ponto de vista sintético, funciona sempre como suporte ao qual se associam palavras modificadoras.

Exemplos: aluno, casa, pedra, cavalo, Deus, diabo, Pedro, Brasil, povo, etc.

SUBCLASSIFICAÇÃO

Próprio: o que designa um único indivíduo de um conjunto.

Exemplos: Pedro, Minas Gerais, França.

Comum: o que designa qualquer elemento de um conjunto da mesma espécie.

Exemplos: aluno, país, casa.

Coletivo: é o substantivo comum que, com forma singular, designa um conjunto de elementos.

Exemplos: boiada, povo, dinheirama.

Segue uma lista de coletivos mais comuns, acompanhada dos respectivos significados:

Concreto: o que designa o ser tomado em si mesmo, com existência própria, independente de outros.

Exemplos: casa, mesa, sofá, saci, fada, alma.

Abstrato: o que designa qualidades, ações ou atributos dos seres, concebidos como se eles existissem em si mesmos, apartados (abstraídos) dos seres que os suportam.

Exemplos: beleza, crueldade, demolição, sofrimento.

Observação: Quanto à formação, o substantivo pode ser:


  • Simples, quando formado de um único elemento. Exemplos: casa, pé, árvore.
  • Composto, quando formado de mais de um elemento. Exemplos: pontapé, couve-flor, aguardente.

A FLEXÃO DE GÊNERO

Gênero é a categoria gramatical que, no Português, distribui os nomes em masculinos e femininos.

Exemplos: professor, professora.

O gênero é uma classificação gramatical, não existindo correspondência necessária entre gênero masculino e sexo masculino, ou entre gênero feminino e sexo feminino. Por exemplo:


  • A mesa é do gênero feminino e não do sexo feminino.
  • O banco é do gênero masculino e não do sexo masculino.

Em outro artigo traremos outras classificações e flexões do substantivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário